Opiniones

Valoración media de nuestros clientes
4.8 sobre 5

Productos más vistos

Boletín

Inicio

Información

Semillas de adormidera View larger

Opium poppy seeds

 Sementes de papaver somniferum, a variedade Giganteum: acostuma a sacar só uma cabeça por planta do tamanho quase de uma pelota de tennis. Muito espetacular, sobretudo quando mostra a sua gigante flor vermelha com o centro negro.

More details

6,60 €

disponible

Al comprar este producto puede obtener hasta 78 puntos de fidelidad. Su carrito totalizará 78 puntos que se puede(n) transformar en un vale de descuento de 2,34 €.


Puntuaciones: 3.8/5 (90 votos)

    As sementes  de adormidera (papaver somniferum) são a fonte de opio e dos seus derivados químicos morfina e heroína. Nos Estados Unidos e na Europa os grãos de adormidera são legais. Isto se deve a que estes não contêm qualquer dos alcaloides que estão presentes na planta adulta de adormidera, como a morfina, codeína, papaverina e tebaína.

    A flor da adormidera cresce até uma altura de1 metro, aproximadamente. É uma planta que se dá ao ar livre, germina no outono ou na primavera, floresce no verão, e derrama as suas sementes de novo no outono. As suas flores varian em cor desde o alvo ao morado e qualquer tom entre vermelho ou rosa . É nativa do sudeste da Europa e da Ásia Ocidental, mas expandiu-se por todo a Europa e Ásia, onde cresce em cultivo e em estado selvagem..

    O cultivo ornamental, a pequena escala, é perfeitamente legal em Espanha. A adormidera deve cultivar-se em terra solta, nutritiva e com um drenaje ótimo. Uma terra adequada é uma mistura esterilizada de multidão e areia de rio ou de obra, nunca de praia marinha pois contedría demasiado sal. Cresce melhor com tempo fresco ? 5 a10ºC- e uma altitude de 800 a1.500 m. Na zona mediterrânea semeia-se em outubro ou novembro, no resto da Península é melhor fazê-lo no final de inverno ou princípios de primavera: as geladas podem matar as plantitas, mas demasiado calor pode impedir a sua germinação. Costuma-se semear após a última gelada. Diretamente na terra, sem fazer transplantes. Antes de semear se riega com abundância e deixa-se secar um par de semanas. As sementes podem-se jogar diretamente sobre a terra ou misturar-se com um pouco de areia antes de semear. Se cultiva-se em exteriores convém arar após as chuvas ou de regar, as más ervas aproveitam-se como abono orgânico que pode se misturar com o estiércol. Após semear há que manter a terra húmida, mas não muito molhada. Quando são jovens se riegan um pouco a cada dia com um pulverizador, há que evitar regar com água com cloro. Ao sair as flores já não faz falta regar. Germinarán em uma ou duas semanas. Se saem muitas plantitas há que deixar só as mais fortes, separadas por uns 20 cms. Deve-se evitar, ao princípio, a exposição direta ao sol.
    Na fase de crescimento se abonará pouco e uma vez ao mês, ou mês e médio, com um abono completo.. As flores duram muito pouco, em seguida caem-se as pétalas. As cabeças de adormidera  se cosechan aos 14 a 21 dias após cair-se as pétalas. É importante não regar as plantas a partir da caida das pétalas.

    Cultivo em vasos: utilizar recipientes com um mínimo de 25x25 cm. Tiestos grandes = plantas grandes. Fazer uns buracos no fundo e pôr uma capa de grava de 2 cmpara o drenaje, preparar o substrato (Ej: Substrato Universal, 50% +Terra de Castanheiro, 20% + Areia e Perlita, 30%) com o que encheremos os vasos. Humedecerlo previamente a semeia-a, que realizaremos de igual forma que em exterior.

    COLHEITA
    Realizar-se-á entre junho e julho, dependendo de semeia-a, clima, latitude, etc, e nos dias sucessivos à queda da flor, quando a cápsula chegou ao seu máximo tamanho (as pontas da coroa situada sobre as cabeças estão levantadas).
    Proceder-se-á a realizar um ou vários cortes, quase superficiais, com uma lâmina de barbear ou similar na cada uma das cabeças com cuidado de só cortar a parede exterior para evitar que o Opio seja reabsorbido ao interior da cápsula, o perdendo.

    TEM CUIDADO, as cabeças mau cortadas não podem voltar a ser sangradas!.
    Destes cortes fluirá um látex de cor branco que em contacto com o ar ir-se-á tornando escuro até quase negro; esta substância uma vez secada é o que conhecemos como OPIO. Esta operação poder-se-á repetir várias vezes com intervalos de 3-4 dias.
    Não cosechar com chuva ou excessivo orvalho, a água arrasta os alcaloides.
    Podem-se realizar os cortes temporão pela manhã, deixando secar o látex na própria planta durante 1 ou 2 dias, para que perca grande parte da humidade antes do recolher.
    Outro sistema consiste em recolhê-lo, no mesmo momento de dar o corte com a ajuda de uma vasija, a seguir bate-se com uma espátula pondo-o a secar ao sol; depois de uns dias de secado guardá-lo-emos em local fresco e escuro.
    Duas semanas mas tarde, quando apanhe uma cor parda avermelhado, poderemos dispor de Opio em bruto. Com o tempo o Opio vai-se curando produzindo-se uma perdida de importância mas ganhando em qualidade e sabor.

    FORMAS DE CONSUMO
    Pode-se comer, fumar, beber em infusão ou diluido em bebidas alcoólicas, administrar por via anal..., afetando, à intensidade e velocidade do efeito, a forma de consumo.
    O opio de uso farmacêutico não deverá conter mais de um 12-15% de humidade.

    COMIDO: O Opio uma vez seco pode-se pulverizar ou realizar uma pequena bola amassando com os dedos, envolvendo esta com papel de fumar ou introduzir em uma cápsula vazia (para evitar o sabor amargo, um tanto desagradable) e ingerir. Dose média: 300-600mg segundo pessoas e tolerância.

    LAÚDANO (tintura de opio): Misturar a partes iguais opio, água e álcool etílico, costuma-se-lhe acrescentar algumas especiarias para melhorar o sabor (não serve o álcool de farmácia de 96º já que contém uma substância para evitar a sua ingestión).Também se pode diluir o opio em um licor de alta graduación.

    Antigamente preparava-se uma bebida misturando as cabeças esmagadas com vinho e mel, acrescentando especiarias para melhorar o sabor. Em algumas zonas da África fuma-se a planta, previamente secada e triturada, misturada com fumo e/ou cannabis.

    VIA ANAL: Com esta forma de administração, moldando o opio em forma de pequena bola e como se se tratasse de um supositorio, se evitam muitas das moléstias gástricas que por via oral se podem produzir.


    MÉTODOS DE EXTRAÇÃO DE OPIO
    Todas as partes da planta contêm opio mas a sua maior concentração se encontra nas paredes das cápsulas. Das plantas secas (palha seca da adormidera) e principalmente das cabeças também se pode extrair uma alta percentagem de opio, embora com uma potência de duas ou três vezes inferior ao opio em bruto.

    INFUSÃO: O melhor método para aproveitar uma pequena colheita!. Moler várias cabeças de adormidera (vazias previamente de sementes). Jogar o pó decorrente em um caço com água fervendo e misturar rapidamente, não deixando que ferva mais de 3-4 segundos. Apaga-se e deixa-se repousar tampado 15 minutos aprox. Colar por um filtro muito fino e endulzar ao gosto.Dose média: 10-15 cabeças segundo tamanho (2 gr aprox. em pó).

    EXTRATO DE INFUSÃO (sólido)
    Fazer uma infusão com as cápsulas secas e trituradas não muito finas em bastante água. Agregar o sumo de um limão ou vinagre, ajudará à dissolução. Sem filtrar, pôr diretamente ao banho maría (não deve chegar a ferver) durante 1h aprox., removendo de vez em quando. Colar com um filtro muito fino, tipo café; reservar. Com o resíduo vegetal decorrente repetir a operação 2 ou 3 vezes. Reduzir todo o liquido de novo ao banho maría até que se espesse e no fundo da olla fique uma massa similar ao opio requintado. 150 gr. de cabeças trituradas produzem entre 12 a 14 gr. de resíduo seco.

    EXTRATO DE ÁLCOOL Ou ETER
    Também se pode realizar uma extração pondo a macerar as cabeças trituradas durante uns dias em éter de petróleo ou álcool etílico, filtrando o liquido e deixando evaporar o disolvente, o resultado final é similar ao do método anterior (extremar as precauções, os vapores dos disolventes podem ser explosivos).


    REQUINTADO DO OPIO em bruto (Preparação apta para fumar)
    Este processo baseia-se na mudança do estado físico do Opio (de solidó a liquido) para facilitar a separação das impurezas sólidas mediante uma singela operação de filtrado.

    - O Opio bruto, látex seco da Papaver Somniferum (recomenda-se triturarlo para facilitar a dissolução) coloca-se em uma olla com água quente, que não chegue a ferver, revolviendo até que se dissolva. Filtra-se e retiram-se as impurezas (terra, restos vegetais...etc.). Os filtros de café se embozan facilmente, é melhor utilizar um filtro permanente de cafeteira ou uma maya muito fina.

    - Obtém-se assim um líquido marrón claro que se aquece sem chegar a ferver, ao banho María, até evaporar a água quase por completo ficando no fundo uma massa espessa de cor marrón escuro, a retirando antes de que a sua consistência seja parecida à masilla, já que se se seca do tudo, será muito difícil descolar do fundo da olla. Terminar de secar ao sol ou baixo um lustre.

    - Uma proporção aproximada séria 6 l. de água pela cada 1 Kg. de Opio seco em bruto; o importante é que não chegue a ficar tão seco que se possa queimar, se é necessário acrescentar pequenas quantidades de água.

    - Recomenda-se não superar os 70/80 ºC para minimizar a destruição de alcaloides por efeito do calor.

    - Após este singelo mas laborioso processo o Opio perderá entre um 20 - 30 % do seu peso inicial (o Opio é agora entre um 20 - 30% mas charuto; perde-se peso ganhando em qualidade).

    - Também seria possível realizar o requintado a partir do látex fresco ajustando melhor a quantidade de água.

    O Opio assim tratado este preparado para fumar sendo também menos indigesto para comer.

    Se opta-se por consumir fumado, é preferível usar uma pipa aberta e uma base quente para vaporizarlo, já que na típica pipa chinesa de cazoleta fechada o Opio carboniza-se e irremediavelmente atascaría o pequeno buraco da cazoleta.

    O Opio uma vez refinado pode-se seguir processando até obter o ?chandoo?; este é um procedimento muito longo, laborioso e bastante complicado para o que se requeria uma alta cualificación e preparação prática.

    CONSERVAÇÃO
    Em local seco e fresco, a excessiva humidade e as temperaturas altas podem deteriorar o opio; se foi bem secado resulta muito estável se podendo armazenar durante vários anos.


    EFEITOS
    É um depresor do Sistema Central Nervoso. O seu principal efeito é o desaparecimento da dor (a sua apreciação subjetiva). Produz uma deliciosa embriaguez, agradável somnolencia, viva excitação e redução da agresividad.

    Ao longo da história o Opio usou-se em medicina para quase tudo, desde analgésico, antitusivo, bactericida, tónico, para as contusiones, contra o asma, a febre, o reuma, a otitis, ulceras, tumores diversos, o cancro de pele, de estômago, de vagina,? as esclerosis do hígado, os pólipos, etc. Também se utilizava como afrodisíaco e como anafrodisiaco dependendo isto, da dose e o habito que se tivesse.
    Das sementes obtém-se azeite para pinturas, sabões, produtos de alimentação, doçaria?

    INTERAÇÕES

    O consumo de antidepresivos, sedantes, hipnóticos ou álcool junto de OPIO pode aumentar a sua ação sedante e depresora do S.C.N. (não misturar com IMAOS).

    REAÇÕES ADVERSAS: Tolerância, sedación, depressão respiratória (segundo dose), nauseas, vómitos, estreñimiento, miosis, sudoración?

    ATENÇÃO: O OPIO tem uma elevada tolerância que com o uso prolongado pode provocar vício psíquica e física facilmente.Depois de uma brusca interrupção pode-se produzir síndrome de abstinencia caracterizado entre outras coisas por ansiedade, midriasis, bostezos, espasmos musculares, rinorrea, agitación e insónia.

    O período de detecção do Opio em uma análise de urina regular é de 24/48 horas desde o seu emprego.

    A maior parte da informacion aqui recolha provem deste interessante blogue:

     

    http://cnburgos.blogspot.com/

     

Ratings and comments from our customers


It has no feedback.